Falta de Oficiais no Brasil

Estimativa da Disponibilidade de Oficiais de Marinha Mercante entre 2010 e 2020 – Edição Revisada

por Misael Berdeide

O presente exercício atualiza o estudo “Estimativa da Disponibilidade de Oficiais de Marinha Mercante no Período Compreendido entre 2010 e 2020” desenvolvido pelo Syndarma em setembro de 2010.

Em relação ao trabalho original, as principais diferenças no âmbito da oferta de Oficiais da Marinha Mercante estão centradas nas novas previsões informadas pela DPC (Workshop DPC / Transpetro de setembro de 2010), onde, além dos oficiais com formação plena e os provenientes das ASON(M)/ACON(M), passaram, também, a ser considerados os oficiais oriundos da ATNO, ATOM e Estágio Supervisionado. Do lado da demanda, em função das informações colhidas no seminário patrocinado pela Transpetro “Formação de Oficiais para a Marinha Mercante” de outubro de 2010, também foram feitos alguns ajustes em relação ao estudo original. Em conseqüência, passamos a considerar a demanda decorrente das embarcações afretadas a casco nu pela Transpetro, além dos novos números de demanda de Oficiais com rendição nos navios tanque e plataformas e sondas. Ainda sob a ótica da demanda, foi suprimida a necessidade de Oficiais em rebocadores, foi considerado o novo regime de rendição da Navegação Aliança e foram incluídas três novas embarcações na navegação de cabotagem (empresas NTL, Vessel e CMA/CGM).

O resultado final é que a inserção desses novos parâmetros, somente agrava o desequilíbrio entre oferta e demanda de Oficiais, prenúncio de severa escassez durante os próximos dez anos. O período mais crítico será entre 2013 e 2016, quando o déficit ultrapassará 1.000 oficiais para tripular as embarcações disponibilizadas.

FONTE: blogmercante

Esta entrada foi publicada em Emprego, Geral, Notícias. ligação permanente.

Uma resposta a Falta de Oficiais no Brasil

  1. Bruno Pereira diz:

    Dizem que existe imensa falta de Oficiais mas os Oficiais que ligam ou mandam curriculos para essas empresas, a resposta é sempre a mesma: “não tem a experiência necessária.”
    Mais, para trabalhar no Brasil é muito complicado pois tem os vistos de trabalho que são uma imensa burocracia.
    E passado poucos meses no Brasil, o Oficial que não seja Marinheiro é despedido porque a partir de certo tempo tem de ter 75 % de brasileiros…
    Portanto, as coisas não são assim tão lineares…
    Portugal podia fazer um acordo com o Brasil para os nossos Oficiais, pois falamos a mesma lingua e exigem o mesmo que aos outros países que não têm nem metade da história e cooperação entre Portugal e Brasil…
    Isto era uma questão e pensar mmuito seriamente…
    Cumprimentos a todos os companheiros desta vida dificil…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s